AVISO

A nova política de uso do Google me fodeu legal, agradeçam a ele quando virem o que aconteceu com os posts antigos.

CG – Another Century’s Episode: R

CG – Another Century’s Episode: R: "
Enquanto o Hideo Kojima não anuncia a produção do Zone of the Ender 3, os donos de um playstation poderão saciar a vontade de controlar um mech com o jogo Another Century’s Episode: R. Com previsão de chegada as prateleiras japonesas durante o verão de 2010, o game será distribuído pela Banpresto/Namco Bandai e desenvolvido pela From Software, a mesma do Demon’s Souls.

Extremamente popular no Japão, a franquia teve alguns jogos lançado para o playstation 2 (ACE, ACE2 e ACE3) e seu grande trunfo é colocar num campo de batalha robôs de diversas animações e proporcionar disputas frenéticas. Para este novo título, os animês presente serão os seguintes:

- Super Dimension Century Orguss (1983)

- Mobile Suit Zeta Gundam (1985)

- Mobile Suit Gundam: Char’s Counterattack (1988)

- Mobile Suit Crossbone Gundam (1994)

- Mobile Suit Gundam SEED Destiny (2005)

- Overman King Gainer (2002)

- Full Metal Panic! (1999)

- Code Geass: Lelouch of the Rebellion (2006)

- Genesis of Aquarion (2005)

- Macross Zero (2002)

- Macross Frontier (2007)

O vídeo abaixo mostra uma bela CG que dá um pouco da ideia do que poderemos esperar do jogo e mesmo não estando em alta definição, está com boa qualidade e a animação é de fazer o sujeito recolher o queixo caído no chão.

Infelizmente não há previsão do acer ser trazido para o ocidente e o que pesa a favor da localização é o sucesso alcançado pelo Demon’s Souls, contudo, nenhum título da série chegou a ser lançado fora do Japão, então acho que se quisermos jogar, teremos que investir na versão japonesa.



"

Deixa pra lá

É, decidi que não irei traduzir o Microlite20. Porque? Muito simples.

Primeiro, é necessário um grupo.
Segundo, é necessário determinação.
Terceiro, é necessário feedback.

Não há como completar nenhum desses pontos. Como assim?

Não tenho grupo, daí não tenho feedback. Determinação até que existe, mas é 2 contra 1. Sem falar que posso aprender mais sobre a lingua inglesa com o pessoal do forum.

Pode até ser egoismo, mas se você pretende jogar, ou até mesmo ler, as core rules do Microlite20 sugiro que aprenda a ler inglês ou arranje alguem que saiba.

Uia!

 Vou postar aqui o que pretendo narrar no forum do m20.
Tive essa ideia em 2 horas, incrivel!

"O mundo está cheio de perigos e caos. Porque as pessoas se preocupam em tentar salvar esse mundo podre?
A única forma de se salvar é fugindo desse inferno. Eu conheço um jeito de sair daqui, mas o risco de morrermos tentando é muito alto.
Uma coisa te garanto: de uma forma ou de outra sairemos daqui."

Sua aventura começa no mundo de Parede Estelar, um lugar pacífico até a passagem do asteróide Punho Rubro, que acabou destruindo a lua do planeta, Gaia, e agora tudo o que sobrou foi 1/3 da população do lugar.

O planeta Parede Estelar possui Torque 1200, ou seja, a magia é conhecida e amplamente utilizada por conjuradores. O conceito de Torque é melhor explicado no meu cenário multisistema, que será disponibilizado em breve.

Todas as raças básicas do m20 estão presentes, com alguns poucos NPCs que vieram de outros planetas.

O objetivo principal é uma sequencia:
1- Obter 3 cristais de eletricidade
2- Obter uma nave
3- Dar o fora do planeta

Você vai começar com um cara que planejou a fuga, que prefere ser chamado de Senhor Amarelo. Porque? Talvez ele seja louco, quem sabe. Mas é o melhor piloto das redondezas.

Os 3 cristais encontram-se no fundo de uma base militar em ruínas e que foi invadida por vários tipos de monstros.

Posta a ficha que o jogo começa em breve. Não se preocupe com Fast Packs porque você já possui duas cópias de cada item necessário num baralho de S.Cards.

Aqui tem umas musicas pra ajudar a imaginação: http://www.4shared.com/dir/37302634/cf0e78b1/PBF_Music.html

Mais uma classe do Nexus


,Archblade

O Archblade é um mestre de armas, do mesmo modo que o arquimago é um mestre da magia. Eles possuem uma longa e rica história, que envolvem a união de pessoa e arma que rompe os limites de guerreiros comuns. Normalmente são treinados por outro Archblade, mas não é incomum um soldado descobrir esse poder por conta própria.
O Archblade descobre uma sútil conexão quando usa sua arma preferida. Após passar por um ritual ele desperta seus poderes. Eles costumam se relacionar com outros Archblades para espalhar o conhecimento das armas, e também procuram por pessoas com essa habilidade latente, tornando-se professores.

Sua arma faz parte de você, domine a si mesmo que você dominará sua arma.
—Charles Hampshire, Archblade Lupino





Deve possuir no mínimo nível em Armas Brancas, Esquiva, Esportes e Percepção.
Deve possuir no mínimo nível ● em Força, Agilidade e Vitalidade.
Deve possuir a Restrição Vulnerável para dois tipos de energia diferentes.

Talentos: Pode possuir os Talentos Afinidade com Arma, Agarrar Aprimorado, Ataque Localizado Aprimorado, Desarmar Aprimorado, Imune a Dor, Investida Aprimorada, Usar Duas Armas Médias, Usar Espada de Duas Lâminas, Usar Foice, Usar Katana e Usar Mangual.

Poderes: Pode possuir os Poderes Longo Alcance, Energizar Arma (C), Ataque Rápido (C), Fúria, Riqueza, Sorte e os Poderes Únicos abaixo.

União com a Armadura (Passivo): O Archblade passa tanto tempo de armadura que já se acostumou com o seu peso e limitações. O personagem não recebe nenhuma penalidade por usar armaduras médias e pesadas, exceto se a armadura em questão tiver alguma maldição.

Desunião com a Magia (Passivo): Por causa de seu juramento nenhum Archblade pode usar magia, mas ele pode fazer um treinamento que aumenta suas chances contra aqueles que podem utiliza-la. O Archblade recebe um bônus de +1 de dano para cada Esfera de Magia que a vítima possuir. Além disso, sempre que for necessário fazer algum teste de resistência, o Archblade recebe -2 de penalidade.


Ataque Rápido Melhorado (Passivo): O Archblade treinou tanto o Poder Ataque Rápido que recebe um bônus de +1 no ataque quando o usa. Além disso, sua chance de acerto crítico aumenta em 1 ponto (11 e 12 em 2D).

Depressivo

Cabou tudo!

Perdi o bico que fazia no HOF, a campanha PBEM de Final Fantasy RPG que a Fernanda (tradutora do livro) tava fazendo acabou, minha mãe me obriga a estudar prum concurso que ainda NÃO mandou a ficha de inscrição com o lugar da prova (sendo que é só 1 vaga...) e pior! Ela não me deixa usar o pc! Por isso vou atrasar o podcast (como se vcs estivessem esperando por ele, não é?) em alguns dias.

Estou ficando cada vez mais empolgado com o Microlite20 mas sei que não haverá ninguém para jogar comigo...

Forum do Microlite20

Olá pra vcs poucos que leem esse blog.

Estava olhando os posts no fórum do sistema Microlite20, que vai passar a ser o lugar que o autor vai receber feedback dos vários jogadores em detrimento do site, e notei um sistema de rolar dados.

Postei uma besteira qualquer e rolei 3d6. Num é que funcionou?

Agora já sei um lugar para jogar o Microlite20 sem me preocupar muito. E olha que falei jogar!

Se alguém souber como adicionar essa "feature" prum fórum me avise imediatamente!

Levando um bolo

É pessoal, foi foda.

Estava animado para voltar a narrar, mas o infeliz que me pediu não apareceu na hora combinada...

O desanimo toma conta fácil, ainda mais quando não tenho grupo algum.

E é nesse clima caido que vou postar o Atmocast #4 essa semana ainda...

Microlatiando

Então pessoal!

Acho que vou voltar a narrar RPG!!! Que alegria!!!

O resumo da história:
Meu primo me perguntou se eu ainda jogava D&D e eu disse que não, mas que poderia narrar para ele.
Sem pestanejar o danado aceitou! Que alegria! Finalmente vou poder rolar alguns dados e matar alguns jogadores sem usar o escudo do mestre!

Mas não vou usar o Nexus 2.5 (depois digo o que houve de ruim com o meu trabalho...) e sim o Microlite20.
Com algumas alterações, é claro.

Espero que essa espera tenha valido a pena.

Acho que encontrei o nome



Magic & Mayhem. Magia & Mutilação.

Acho que esse será o nome do meu cenário para o sistema Nexus 2.5, e que talvez seja compativel com um retroclone de OD&D. Ou até com o Microlite20, quem sabe.

Hoje eu estava para começar a trabalhar nas classes, depois de descobrir que não poderia ir ao mini evento que houve no Paço Alfândega, quando minha mãe chega e diz para desligar o pc. Ferrou. Perdi um dia de tradução. Mas vou compensar essa perda essa semana.

Pra falar a verdade o cenário não vai tomar muitas páginas. Só vou colocar o mundo de Tarim (ainda preciso ajeitar o mapa que está uma bosta) e as duas luas dele, Jiu`Ares e Luna.

Amostra de classe



Então pessoal!

Resolvi postar uma das classes do cenário do Nexus que estou desenvolvendo. Até segunda ordem ele vai ser Fight & Fantasy mesmo.

Aqui vai uma delas:




Luna Scythe

O Luna Scythe é um seguidor da deusa Luna, incrível portadora da magia da luz e da água. Eles podem se meter em aventuras e fazer o que quiser, desde que não estejam perseguindo riquezas. Alguns Luna Scythe tendem a viajar para descobrir como são de verdade. Porém, se aventura não for do gosto de um Luna Scythe ele pode muito bem aceitar trabalhos de guarda-costas, soldados de milícia ou até mesmo em fazendas. Eles são ensinados por Luna a aceitar os outros como eles são, pensamento este que é seguidp pela grande maioria de Moon Scythes.
Basicamente eles se dão bem com qualquer um, exceto com aqueles que abraçaram as trevas.
O Luna Scyhte passa por uma transformação física quando aprende todos os seus Poderes e Talentos. Seus cabelos passam a ser de cor azul claro e uma leve aura branca se torna perceptível a olho nu. Eles também podem possuir o Talento Auto-Suficiente.
Deve possuir no mínimo nível ● em Armas Brancas, Lábia e Esquiva.
Deve possuir no mínimo nível ● em Força e Vitalidade.
Deve possuir o Talento Usar Foice.
Deve possuir Magia Divina.

Talentos: Pode possuir os Talentos Afinidade com Arma, Agarrar Aprimorado, Ataque Localizado Aprimorado, Desarmar Aprimorado, Imune a Dor, Investida Aprimorada, Usar Foice, Manipular Energia, Carismático, Visão no Escuro.

Poderes: Pode possuir os Poderes Ataque Rápido (C), Companheiro, Cura, Energizar Arma (C), Fúria, Riqueza, Sorte, Vidência na Água, Ciclone Magnético, Corte da Lua Cheia.

Vidência na Água(●): Luna revela suas motivações ao Luna Scythe por ter que derramar um pouco do seu sangue a cada lua cheia. O Luna Scythe pode usar qualquer massa de água para observar qualquer lugar que já tenha estado pela duração de 8 minutos. Se houver pessoas na área ele poderá ver e ouvi-las sem problemas, exceto se não entender a língua em que esses indivíduos estejam usando.

Ciclone Magnético (●●): Uma explosão de forças magnéticas irradiam de você, acertando todos os oponentes num raio de 2m e causando 3D de dano Neutro.

Corte da Lua Cheia (●●●): Envolto numa forte aura branca, o Luna Scythe reúne uma enorme quantidade de energia durante um turno para que logo em seguida a libere em um ataque devastador. Esse ataque faz Força + Mente D de dano de Luz. Este Poder só pode ser usado no modo EX.

Por enquanto é só, mas vou criar mais habilidades eventualmente.

Novidades


Então pessoal!

Vim avisar das novidades que estão por vir, e uma delas é a minha versão do Nexus!
Claro que já pedi permissão pro autor. Vcs acham que eu seria besta de fazer um plágio?

Bem, é um pouco dificil de explicar mas vou tentar resumir: trocarei os atributos de pontos para dados. Ou seja, o jogador vai rolar 3d6 seis vezes, escolhe os cinco melhores valores e distribui nos atributos.
Tbm vou colocar níveis, quase que substituindo os pontos. Sendo que o nível 1 corresponde a 50 pontos (dividi os status pela metade).
Aquela tabela de aumento de pontos (x2, x3...) foi modificada para servir ao sistema de níveis. A cada novo nível o personagem ganha 10 pontos para distribuir como quiser.
Aumentar os atributos vale 2x Valor do atributo em pontos.

Outra coisa que vale lembrar é que estou com um problema para fazer os nomes das naves, mas após ouvir o nerdcast 205a me veio a ideia (cliche) de usar os nomes de deuses gregos. Ou de criaturas menores.
O que acham?

Atmocast #3






Então pessoal!

Apanhei um pouco para colocar o arquivo no blog mas consegui!

Hj vou falar sobre como fazer um personagem no Nexus 2.5. Muito simples!

Deixem comentários!

Estranha Jornada


Sabe, nunca fui muito fã de histórias com final ruim. Menos ainda das que deixam explícito que o final vai ser algo infeliz. Mas de vez em quando concedo excessões a algumas delas, apenas para me deleitar com o meio dela.

Falo da série de jogos Shin Megami Tensei. Uma série antiquissima que vem desde o tempo do Snes. Meu primeiro contato com a série foi quando observava jogos para download em alguns sites, jogos estes que não são mais encontrados em lugar algum além da net, então não me culpem. Acho que foi Digital Devil Saga, o qual nunca pude jogar por falta de uma boa conexão para baixar os poucos Gb do DVD. Para saciar minha sede tive que procurar por alternativas, e acabei encontrando a versão para Snes traduzida para o inglês.
O começo e a metade eram interessantes, mas não consegui terminar. Faltou força de vontade. E tbm a ideia de perder o personagem que fazia mais estrago fisicamente por causa das minhas decisões durante o jogo afetou um pouco essa parada.

Hj consegui adquirir o jogo Shin Megami Tensei: Strange Journey para DS, e já gostei logo de cara porque ele lembra bastante uma série de tv.
Tempo atual, com algumas parafernálias tecnológicas de ponta, no pólo sul. Um tipo de anomalia se forma e começa a sugar tudo o que toca, inclusive cientistas incautos. Seu personagem, um homem, faz parte da divisão militar de uma expedição que pretende acabar com essa anomalia antes que ela engula o mundo todo.
Estou um pouco animado já que consegui arrumar um erro no emulador que corrompia o arquivo de save, e parece que esse erro tbm afeta os DS de algumas pessoas.

Em pouco tempo vou poder falar mais sobre esse jogo interessante. Não esperem por mim.

Pérolas


Então pessoal.

Estava eu pensando no blog, que tinha esfriado de ideias uma semana após o lançamento, e resolvi contar algumas perolas que aconteceram comigo.
Lógico que vou aumentar algumas coisas, já que tem umas poucas que não tem muita graça.

Vou começar com uma do tempo que estava aprendendo a jogar D&D.
Como não fui bem aceito no grupo, acabei ficando sozinho na maior parte do tempo. Isso durante a criação das fichas.

O pessoal tinha feito uma aulinha agressiva sobre o que era D&D e me ensinado o básico do básico. Naquela tarde, várias pessoas se reuniram na casa do mestre, inclusive eu, para começar a fazer as fichas.

Lá estava eu, com o livro do jogador (que me mandaram ler depois da "aulinha". ler ele TODO pra ter ideia do que era RPG), a ficha, alguns dados e jogado num canto da sala, já que o mestre estava ficando sobrecarregado de perguntas dos outros jogadores mais "experientes" e eu não criava coragem pra falar com ele.

Foi ai que me veio um pensamento doido: porque não jogar os valores eu mesmo? Tinha um cara, que tbm jogava, encostado na grade, olhando o monte de gorgóns (era como eles chamavam os noobs) e que estava perto de mim. Quando comecei a jogar os dados ele começou a me observar, mas não falava nada. Achei que estava tudo certo. E eu continuei jogando os valores lá.

Só que ao inves de jogar 3d6, como é o certo, eu jogava 1d20. Naquela hora achei que estava certo. Outra coisa que não haviam me explicado eram os pontos de vida. A única coisa que consegui achar naquele livro grande e chato era que a classe dava os pvs, e mais nada.

Acho que esse jogo ficou na minha memoria por causa de ter sido no nível 12. E como eu não sabia que se colocava o modificador de constituição nos pvs, acabei ficando com 22 pvs. E estava usando um guerreiro. Sim, um guerreiro de nível 12 com 22 pvs. Preciso dizer o que acontecia nos combates?

Ah, isso me lembra que tempos depois (acho que 2 meses) descobri o porque que os "jogadores experientes" NÃO colocavam o bônus mágico de constituição nos pvs. Achavam que era muito trabalho escrever os pvs reais e os magicos na ficha. Depois que vi a magia vigor do urso e me liguei que itens magicos reproduzem os efeitos das magias fui correndo avisar pro mestre, que me deixou gritando o que tinha descoberto do lado de fora da casa enquanto que ele estava sentado no sofa jogando Yoshi Island no snes que ele pegou emprestado. Mais tarde esse safado disse pro grupo "veterano" que ELE descobriu o que eu tinha dito.

Ainda bem que não ando mais com esse pessoal.


Enfim, fica a dica do dia: mestre, nunca esqueça de seus jogadores novatos. Eles tem a tendencia de fazer merda exponencialmente.

Editora Jambô anuncia nova linha de produtos

Não sei se é pegadinha de 1o de abril, mesmo porque estamos em 2 de abril, mas já fiquei cabreiro.

"Puck o Duende Perverso é o primeiro título da série de livros-jogos Erotic Fighting Fantasy lançado pela editora Jambô."
Olha, não sei se vc que está lendo percebeu, mas a linha de livros se chama Fighting Fantasy, MUITO parecido com Fight & Fantasy que eu estava pensando em chamar meu cenário.

Sério, isso parece destino: Fighting Fantasy soa muito mais infantil do que eu achava. Ainda tenho tempo de mudar o nome para algo mais legal, como Fight & Fatalities. Seria bem mais legal.

Se tiverem sugestões podem deixar nos comentários. Lerei todas elas e discutirei no proximo post.

3D&T

O que posso dizer sobre esse sistema nacional feito por um homem que tenho quase certeza que não se preocupou em mostrar ao mundo que não havia problemas em fazer "referências" massivas de D&D.

Vi muitas pessoas que abraçaram a ideia de um RPG nacional, mesmo que na época tenha sido uma sátira á cultura pop.

Além disso, não havia mais nada que não fosse original. Eu mesmo não conheço nenhum sistema que chegue perto do que 3D&T era ou é.

Um sucesso nacional que me fez passar por situações irritantes com um certo fulano advogado de regras. Depois conto esse caso pra vcs.

Primeiro de Abril

Acho que estou começando a desgostar desse dia.

Fui olhar o reader e tinha alguém falando que o Cassaralho ia fazer o 3D&T Delta, com duas novas características, perícias modificaveis durante o jogo, um novo sistema de magias e outras coisas.
Já estava começando a comemorar por essa mudança interessante quando o dono do post, e do blog, diz que se tratava de uma brincadeira.

Sério, esse tipo de coisa me deixa frustrado.