AVISO

A nova política de uso do Google me fodeu legal, agradeçam a ele quando virem o que aconteceu com os posts antigos.

CthulhuTech

Então pessoal!
Esse livro é bem diferente, já que ele usa o Storytelling como sistema (que eu acho ser um update pro Storyteller) e foge completamente do meu setor de atuação.
Porém, o cenário é uma coisa muito bem explorada, que é a junção dos mythos de Cthulhu (aquele bicho medonho preso num lugar bem longe daqui que anseia a oportunidade de detonar com todos nós) com a ficção científica amplamente explorada em Evangelion (robôs gigantes que, na verdade, são clones gigantes da menina de cabelo azul, que por sua vez, é clone da mãe daquele pivete chato que num come ninguém XP).
A cronologia segue um padrão preciso e interessante, que explica desde o surgimento de tecnologias mais avançadas até a invasão dos Mi-Gou (favor não confundir com Miguxos), que são seres antigos, quase tão antigos quanto a galáxia. Acho.
Se você não gosta deste tipo de cenário com toda a certeza vai se maravilhar com a arte do livro, que é uma coisa de outro mundo (tendeu a piadinha?)!
As cores (não se confunda com essas cores) são poucas e fortes, o que deixa o clima mais maduro. Toda a humanidade teve que se readaptar com as descobertas do mundo oculto, que inclui os aliens e os feitiços (o chato é que não tem nenhum feitiço de dano direto, nem um voodo).
O leitor com certeza ficará confuso se ele se apoiar apenas nos fatos descritos no rulebook. Mas se a curiosidade for maior, ele poderá desvendar alguns dos vários mistérios lendo o suplemento Damnation View, que conta o começo desse cenário.
Não vou dar spoiler sobre o conteúdo do Damnation View. Se for um Narrador, tudo bem. Mas se for um jogador, aviso logo que vai ficar boiando. Ou não.

Enfim, um ótimo cenário, com uma arte incrível e história de quebrar cabeças.

3 comentários:

  1. Essa fusão de cenários parece bem promissora, já que ambos tem um foco conspirativo e cataclísmico.

    mas como você avalia a adaptação mecânica para historyteller? Gostaria de saber mais...

    enfim, se a arte interna for tão boa quanto a capa, este livro será imperdível!

    abraços e bons dados!

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, o sistema usado é o Storytelling, a nova moda do WoD.
    Acho que ficou regular, já que nunca tive a chance nem de jogar ou de ler o livro básico.

    ResponderExcluir
  3. Só pra atualizar o comentário.
    O cenário é incrível mesmo, com várias referências a animes consagrados (Akira) e mesclando os Mythos de Cthulhu a tudo isso!
    O sistema de regras funciona perfeitamente para o cenário e a arte interna é de ótima qualidade.
    Realmente um livro que todos que gostam de cenários legais deveriam ter!

    ResponderExcluir

Post urls = spam.