AVISO

A nova política de uso do Google me fodeu legal, agradeçam a ele quando virem o que aconteceu com os posts antigos.

Mais Touhou

http://www.youtube.com/watch?v=qEJwDp3kG_o&feature=player_embedded

Madoka Magica 08

Cacete!
Acabei de assistir o episódio 8 de Mahou Shoujo Madoka Magica e estou impressionado e abalado!
Depois da revelação do epísodio 7, achei que a próxima grande virada seria no 9, mas me enganei completamente!

Só tenho isso pra falar mesmo!

MOD de Time Crisis a lá Touhou?!




Bem pessoal, com esse video venho informar que informarei que, no próximo post, postarei um video com um certo Touhoumon que estou jogando.

Esse negócio de Touhou pega!

Apostas para a temporada de primavera

Olá pessoal!

Hoje estava fuçando a net e vi uns novos animes que vão sair logo, substituindo alguns que foram a "promessa" desse início de ano. Lógico que estou falando de Puella Magi Madoka Magika e Kore Ha Zombie Desu Ka.

Tenho aqui algumas apostas. Será que vocês concordam?


Lotte no Omocha! / Lotte's Toy
A história de uma succubus que acabou de fazer 10 anos e precisa iniciar seu harém de homens machos (espero). As succubus precisam de uma substância especial criada apenas por homens para sobreviver, esperma, também chamado de "porra".
Pode ser uma série bem engraçada com um fundo ecchi que vai desagradar MUITA gente.


Appleseed XIII
Provavelmente o mais esperado. É a versão anime do incrível mangá (só vi o segundo filme) que mostra um século 22 que se reergueu após uma Terceira Guerra sem bombas nucleares. Acho que vai deixar muita gente feliz, pelo menos eu estou!


.Hack//Quantum #003
OVA que me impressionou bastante, principalmente por não ser tão parado como TODOS os outros animes de .Hack. Só pra lembrar, a história acontece num jogo online chamado "The World", e algumas pessoas acabam entrando em coma após ter sido atacadas por criaturas sinistras dentro do jogo. Isso é até fácil de entender, já que o pessoal usa uns óculos que podem causar mesmo algum problema cerebral.


Steins;Gate
O que parece ser uma história de ficção científica com organizações caçando jovens malucos. Quem sabe pode me divertir um pouco?


São poucos os animes que me interessam, mas será que vão mesmo ser alguma coisa?

GodHand está pronto?!

Olá pessoal!


Estou feliz em publicar que meu sistema e cenário GodHand está quase saindo do forno!
Faz algum tempo tenteni entrar em contato com uma editora digital que está lidano com um RPG novo já abordado aqui no blog sobre publicar meu livro de forma similar, mas percebi que o foco do meu sistema é chocar e envolver a maior quantidade possível de pessoas rapidamente. E isso é difícil quando se envolve dinheiro, mesmo que sejam só 5 reais.

Sob o Grupo GodHand, o jogo/cenário GodHand será publicado aqui e no MundoRPG e contará com:
1 livro de regras;
1 livro do cenário;
1 livro de monstros "H".

Lembrando que GodHand possui imagens para maiores de 18 anos e nenhuma delas me pertence. Só pra deixar claro.

Decepções do Passado

Bem pessoal, estou aqui para dar uma notícia ruim (não sei pra quem):
o blog vai passar por umas reformas, então GRANDE parte dos posts serão DELETADOS!!

Sinto pela decepção, mas a vida é assim... tem alguém ai?

Era Perdida RPG - Resenha!

Era Perdida RPG - Resenha!: "
Olá queridos, caros e raros leitores!
Como alguns de vocês já devem ter percebido, pelo menos os leitores que jogam RPG, o RPG nacional esta realmente bombando de novos sistemas, o que é muito bom! E muitos destes novos sistemas são realmente incríveis. O mais novo sistema que esta vindo ai é chamado Era Perdida RPG! Que por algum motivo que desconheço, a galera da Revista Digital me deu a honra de receber e o prazer de ler este novo sistema, ao qual vou dar minhas impressões agora! Então continue lendo!


A Arte de Era Perdida RPG
Como sou um grande admirador de ilustrações, a primeira coisa que fui conferir no livro foram as imagens (ou seja, o preguiçoso foi ver as figurinhas) e quero dar meus parabéns aos ilustradores que fizeram um trabalho incrível, vocês podem notar isso logo na capa do manual (logo ali acima) feita por André 'Raqsonu', que merece os parabéns, pois não somente a capa, como as outras ilustrações presentes no livro transmitem realmente uma idéia de uma era perdida!
“Vejamos, olhando para a imagem, o que sinto? Ora, uma região remota e perdida, não se sabe a época. Um mundo isolado por ventos estranhos e mágicos, com uma misteriosa espada que atravessa a terra. Seria isso para mim: uma era muito perdida.”
André 'Raqsonu'.
O livro é totalmente colorido, tendo ilustrações em cores e em P&B feitas não só por ilustradores brasileiros, mas também por norte americanos e europeus. Realmente ótimos trabalhos que não param só no livro, mas que passam também para as ilustrações das atualizações presentes no site.


O que é Era Perdida RPG?
O Era Perdida é um novo sistema de RPG que visa se encaixar suas regras em qualquer cenário e temática de RPG. Trazendo regras simples para que os mestres e jogadores possam facilmente adaptar a sua maneira ou que facilite nas tomadas rápidas de decisões que em outros sistemas resultam em tempo perdido de busca de regras no livro. Além disso, você não vai ficar limitado as regras básicas que constam no manual, pois diariamente novas atualizações, itens, regras, raças, personagens, localidades, histórias são disponibilizados pelos criadores do sistema no site Revista Digital.

“Jogo RPG há muito tempo e em pelo menos 4 cidades. E uma coisa que eu percebi em todas as mesas, é que os jogadores nunca seguem à risca todas as regras propostas pelo livro. As pessoas fazem adaptações para sua realidade. E isso está certíssimo! Cada um tem que jogar da forma que achar melhor. E o Era Perdida permite que o jogador faça isso de uma forma ‘oficial’. O livro possui regras básicas, simples. E o site complementa com regras mais complexas elaboradas e OPTATIVAS. Só usa quem quer.”
Renan Biazotti
O Livro
O Era Perdida RPG foi editado em formato paisagem (308,29 x 182,36), com 66 paginas em seu manual, mas não se preocupe por serem poucas paginas, pois com as constantes atualizações e suplementos que são postados diariamente no site, você terá muito mais material.
O livro será disponibilizado em formato e-book (para quem compra-lo) onde você no momento da compra vai receber um senha para logar no site Revista Digital, onde poderá consultar o livro sempre que quiser, todo através de um sistema de leitura especial para o Era Perdida, que diga-se de passagem, é um sistema que carregam as paginas ridiculamente rápido (acreditem, eu abri aqui com uma internet 3G 256mb em dia de chuva e carregou cada pagina brincando).
Se você não gosta de suar notbook em suas mesas, não se preocupe, pois é possível imprimir as paginas diretamente do sistema de leitura (você pode imprimir apenas as paginas que julga necessário para sua mesa).
Vejam ai como é o sistema de leitura:


O Sistema
O sistema proposto de Era Perdida RPG foi o que eu achei de mais inovador, pois quase que você não diz: 'Eu já vi isso em algum lugar' ou 'Entendi, é tipo o sistema X', a proposta de um RPG novo e simples foi cumprida.
Os atributos de Era Perdida são: Força, Destreza, Habilidade, Vitaliade e Conhecimento. Neste atributos você distribui pontos (3 pontos para personagens Fracotes de 1° nível) para formar seu personagem. Mas vendo os Atributos você vai dizer: 'Ah! Isso eu já vi em outro lugar!' E é ai que você se engana, pois os atributos funcionam de uma maneira bem diferente. Vamos pegar o exemplo do atributo Força: Cada ponto em força, lhe da 1d6 de dano corpo a corpo, porem cada ponto em Destreza, que mostra sua habilidade com as mãos, lhe fornece +1 de dano no seu ataque corpo a corpo e 1d6 de dano em ataques a distância. Logo se seu personagem tem Força 2 e Destreza 1, seu ataque corpo a corpo tem dano 2d6+1. Outra coisa que gostei foi o método de determinar os Pontos de Vida do personagem, onde cada Valor de atributo tem um valor em pontos de vida. E ainda falando em Atributos, o que eu achei mais maneiro foi o Atributo Conhecimento. Cada ponto em Conhecimento fornece ao seu personagem algumas tecnicas, que podem ser magias, ataques especiais e ofícios para seu personagem, então se você sempre quis montar um guerreiro que lança bolas de fogo, Era Perdida vai te ajudar a se realizar este seu sonho.

O capitulo de criação de personagem ficou muito bem explicado, onde recomendo que enquanto você vai lendo ir criando o personagem, pois logo de cara já é dado dicas de como criar até mesmo um pequeno backgrond para seu personagem e quando você termina a parte de criação, tenho certeza que você ja vai ter aprendido 80% do jogo.

Para você jogar Era Perdida RPG você vai precisar de dados de seis faces (d6), na verdade recomendo alguns d6 para não ter que jogar um de cada vez.

Finalizando essa parte do sistema, uma outra coisa que achei muito maneiro é o sistema de itens especiais que são encontrados de monstros, que servem para evoluir seu personagem, material mágicos para algumas magias ou até para criar uma arma/armadura especial. Então espere muitos monstros maneiros que você vai poder arrancar um pedaço e transformar em arma... sabe no filme Aliens vs Preador, quando o predador faz um escudo e uma lança com o corpo de um alien? Imagine aquilo só que mais estiloso.


Quanto, Quando e Como Comprar o Era Perdida RPG?
Bem, alguns podem ter falado: 'Ah não, ler pelo PC, não gosto.' Posso dizer que também não gosto de ler livros pelo computador, mas vamos ver por um ponto que não pensamos... Era Perdida RPG é um livro feito para você ler em seus computador e não aqueles livros scaniados que nós vocês baixam e tentam ler!
Como vocês podem ver nas imagens acima, a leitura é bem agradável devido ao formato, mas o principal, que faz deixar Era Perdida melhor ainda é o que você vai investir para ter o seu... preparem-se, pois vocês vão pagar exorbitantes:

R$ 4,90

Caraca, quatro reais e noventa centavos! Você não paga um Refri 2L e um Pastel de vento no buteco da esquina com R$4,90!

Uma questão levantada pelo Dragão Banguela foi: 'E se houver um cataclisma global no qual extraterrestres invadam a terra e exterminem 90% da população humana e a Revistaria Digital venha a fechar as portas, como fica os R$4,90 que eu paguei?'

Se alguma coisa acontecer que faça o site sair do ar, o que é pouco provável, você vai estar recebendo um arquivo .PDF para que seus ricos R$4,90 não sejam perdidos.

Era Perdida RPG vai ser lançado no dia 14/02/2011 (próxima segunda-feira) e você vai poder comprar pelo site da Revista Digital a partir das 15 horas em um espaço que vai estar pronto no dia do lançamento.

Então, queridos leitores, posso dizer que este novo sistema, feito por nós (quando digo 'nós' falo Brasileiros) vale muito a pena e realmente vale um grande reconhecimento!
Abraço!
____________________________________________________________________________
Páginas: 66 Formato: e-book 308,29 x 182,36 Orientação: Paisagem Cor: 100% colorido Imagens: Ilustrações coloridas e P&B
Preço: R$4,90
Site:
http://revistariadigital.com/


"

Heavy Metal LEGO

Heavy Metal LEGO: "

"

11Eyes Episódios

11Eyes Episódios: "

Sinopse de 11eyes A história tem como personagem principal, Kakeru Satsuki, um rapaz que perdeu o último membro da sua família, a sua irmã mais velha.Satsuki, e a sua amiga de infância Yuka Minase, e mais quatro estudantes da Academia Koryokan, são transportados subitamente parao mundo da 'Noite Vermelha', onde uma lua negra reina num céu vermelho. Agora, os seis só podem regressar depois de lutar contra os seiscavaleiros negros.
11Eyes Episódios 1
11Eyes Episódios 2
11Eyes Episódios 3
11Eyes Episódios 4
11Eyes Episódios 5
11Eyes Episódios 6
11Eyes Episódios 7
11Eyes Episódios 8
11Eyes Episódios 9
11Eyes Episódios 10
11Eyes Episódios 11
11Eyes Episódios 12
11Eyes Episódios 13 ova
"

Gosma branca pulsante

Gosma branca pulsante: "
Não sei pra que tudo isso. Eu descobri como fazer isso E com uma mão só, aos 12 anos.


"

[Resenha] Tormenta RPG

[Resenha] Tormenta RPG: "

Aqui estou eu, de volta com mais um post para o RPG do Mestre! E dessa vez, atendendo a um pedido do Erick e do Fernando, vou colocar minha pouca experiência como resenhista em prática e falar para vocês sobre o carro-chefe da Jambô Editora: Tormenta RPG.

Já vi resenhas muito boas sobre esse jogo, então vou tentar dar minhas opiniões, sem ser (muito) fanboy. É fato que esse é o RPG que eu jogo atualmente, e que sou fã do Trio de longa data, então tentarei ser o mais imparcial que puder. Outro motivo que pode me influenciar é minha clara predileção por Dungeons & Dragons, e vocês entenderão porque…

resenha rpg trpg tormenta livro manual regras

Bem, vamos à resenha:

O Módulo Básico de Tormenta RPG (é assim que ele se apresenta) é um calhamaço com 304 páginas, em papel fosco, mais grosso do que o couché que estamos acostumados nos atuais livros de RPG, sendo que só as 16 iniciais são coloridas. Teve gente que achou isso uma desvantagem, mas eu não: gosto de livros coloridos, mas o estilo do Tormenta RPG me lembra o bom e velho Lobisomem: O Apocalipse, meu título predileto do Mundo das Trevas.

O detalhe positivo da bela capa (de autoria de Erica Horita e nosso querido Dan Ramos, do Paragons) é o novo logotipo de Tormenta e a sombria borda, que embeleza todo o livro. O detalhe negativo, ou nem tanto assim, é a escolha da ilustração, que foi bastante questionada quando divulgada. Eu achei uma boa ilustração, mas na minha opinião não foi uma boa escolha para a capa.

Falando em ilustrações, o livro está cheio delas, algumas boas, algumas MUITO BOAS, e outras são velhas conhecidas de quem acompanhava a DB, Holy Avenger e suplementos. Fãs reclamaram que haveriam muitas ilustrações repetidas; Talvez pelo fato de não estar acompanhando o cenário há algum tempo, eu não tenha achado isso. Nota 10 nesse quesito.

O texto em si está muito bem escrito, apesar de não estar adequado ao Novo Acordo Ortográfico. Pelo que pude ler no Formspring do Cassaro, foi de propósito. Mesmo assim, acredito que um livro escrito no Brasil tenha que seguir a norma ortográfica vigente; Dá uma angústia ler “ideia” com acento, mas isso acontece quando releio Senhor dos Anéis ou Isaac Asimov, então eu acabei me acostumando.

Cada capítulo abre com uma ilustração de página inteira, e o trecho de um conto escrito por Leonel Caldela (a melhor aquisição que o RPG nacional teve nos últimos tempos!), que serve para dar uma amostra do que vai ser falado no capítulo. O conto segue em todos os capítulos, até o desfecho na penúltima página do livro.

resenha rpg trpg tormenta livro manual regras

Falando nisso, não pretendo analisar minuciosamente capítulo por capítulo, apontarei apenas os pontos mais interessantes que encontrei em cada um deles:

Introdução: é a parte onde tem mais material de cenário. Uma linha de tempo, um pouco sobre as cidades de Arton, suas raças e seus problemas. Temos também um exemplo de jogo, e algumas notações sobre “o que é RPG?” e sobre dados. O capítulo tem a intenção de ser tanto a porta de entrada de novos jogadores no mundo de Arton quanto no RPG; suas dicas de como jogar usando apenas dados de 6 lados me lembra muito o esforço feito pela prórpia DB no seu sistema SÓ AVENTURAS (que mais tarde se tornou o sistema Daemon), num tempo nebuloso onde não tinhamos internet, e comprar dados de vinte lados era quase impraticável fora do eixo RJ-SP.

Capítulo 1 – Habilidades: O mais curto, é quase idêntico a todo capítulo desse teor, do sistema D20. A novidade vai por conta do novo sistema de compra de atributos por pontos (novo no sentido de “nova mecânica”, pois já existiam sistemas de compras por pontos antes…); Esse método é o meu preferido, já que acaba com a chance de você ter um personagem muito forte e um muito fraco no grupo.

Capítulo 2 – Raças: Além dos manjados Humanos, Elfos, Anões e Halflings, temos as adições de Goblins, Minotauros, Lefou e Qareen. Esses últimos refletem bem a diferença entre Arton e outros cenários. Além disso, temos regras para Meio-Elfos, Meio-Orcs e Gnomos, no final do capítulo.

Vale notar que as raças de Arton são MUITO mais fortes que raças padrões do D&D; O motivo (e eu concordo) é fazer com que a escolha da raça continue sendo importante, mesmo em altos níveis.

resenha rpg trpg tormenta livro manual regras

Capítulo 3 – Classes: A maior parte das mudanças em relação à Terceira Edição do D&D ocorreu aqui. Mais Talentos, mais e melhores poderes, mais pontos de atributos, classes novas (Samurai e Swashbuckler)… apesar disso, acontece aqui um esforço pela simplificação do sistema, com menos tabelas e mais “instintividade”. Por exemplo, as Resistências: Antes, você tinha uma tabela que mostrava como progredia a Fortitude, Reflexos e Vontade em cada classe. Agora, cada classe recebe um ou mais Talentos que refletem o que a Classe tem de melhor (Fortitude Maior para o Guerreiro, por exemplo), e o restante vem do atributo (no caso acima, Constituição), + metade do nível.

Essa mecânica da metade do nível aplica-se também na Classe de Armadura e nas Perícias (veja adiante).

Outro ponto a ser citado é sobre os Pontos de Vida: Você não rola mais dados para descobrir a quantidade de pontos de vida que ganha a cada nível, e sim recebe um valor fixo (que é a metade do antigo dado de vida de cada classe – 5 para o Guerreiro, 3 para o Ladrão, 2 para o Mago, etc…), mais o seu bônus de Constituição. Apesar disso, cada personagem começa com mais pontos de vida – em suma, o dobro do dado de vida original da classe. Por exemplo, o Clérigo, que tinha o d8 como dado de vida, começa com 16 pontos de vida, + modificador de Constituição.

Capítulo 4 – Perícias: Aplaudo o esforço pela junção de certas perícias do D&D em uma só, como fez o D&D 4E. “Observar”, “Escutar” e “Procurar”, por exemplo, agora estão em uma só perícia, Percepção.

E acabou com o famigerado sistema de compra por pontos! UFA! Nada mais de passar horas e horas com o Ladino gastando seus pontos de perícia! Agora, você escolhe um certo número de perícias “Treinadas”; Essas terão Graduação igual ao Nível +3. Perícias não-treinadas tem Graduação igual a nível/2. E acabou! você só ganha novas perícias treinadas se gastar um Talento (o que não é tão caro, já que todos os personagens tem mais Talentos agora).

Capítulo 5 – Talentos: São mais de 150, que abrangem todas as classes e possibilidades que D&D e Tormenta oferecem. Destaque para os Talentos da Tormenta: Esses poderes, que dão deformidades vantajosas, diminuem 1 ponto de Carisma por cada um escolhido! Bem a cara dos Lefou…

resenha rpg trpg tormenta livro manual regras

Alguns Talentos quase inúteis foram melhorados (como os Focus em Perícia e Esquiva). Ficaram de fora apenas os Talentos de construção de itens mágicos, já que Arton é um mundo de “Alta Magia”, não de “Altos Engenheiros Arcanos”. Minha campanha aprova!

Capítulo 6 – Características: Nada muito novo: coisas que dependem mais da escolha do jogador, como Tendência, Nome, Divindade… Temos um apanhado bem geral sobre o Panteão de Arton, já com as modificações recentes; como Kallyadranoch, o Deus dos Dragões, no lugar da Deusa dos Elfos, que foi escravizada por Tauron, que por acaso, é o novo líder do Panteão.

No final desse capítulo, temos a regra para Pontos de Ação, mecânica bem conhecida dos jogadores de 4E, que funciona de forma um pouco diferente em Tormenta RPG: Além das ações extras, ele também tem funções narrativas.

Capítulo 7 – Equipamento: A maior mudança em relação a outros jogos D20 é o dinheiro: O aventureiro de Arton tem menos acesso a recursos, portanto, tem menos itens mágicos. Isso serve para equilibrar com as Raças mais fortes. No mais, algumas armas novas, algumas modificadas (o Arco Composto não tem limite de Bônus de Força, que apelação!) e uma reclamação geral de que deveria ter mais ilustrações de armas e armaduras nesse capítulo. E com essa, eu tenho que concordar!

Capítulo 8 – Magia: A bomba! Nada mais de “slots” de magia! Seu mago agora tem Pontos de Magia, que ele usa para memorizar o que quiser! Acabou a história de perder tempo memorizando 9 magias de 1º nível que não servem pra nada!

Bom para Feiticeiros e Bardos, que não memorizam nada; Apenas escolhem a magia, gastam os pontos e mandam bala! No geral, os conjuradores lançam menos magias do que antes, mas agora eles tem a oportunidade de escolher as que mais importam.

O maior capítulo do livro, trás magias clássicas do D&D, algumas de Tormenta, organizadas por ordem alfabética. A “mancada” foi não ter incluido uma lista de magias por Nível, para facilitar a consulta. Apesar de estar facilmente acessivel no site da editora (bem AQUI), ainda acho que 11 páginas a mais no livro não mataria ninguém de fome…

resenha rpg trpg tormenta livro manual regras

Capítulo 9 – Combate: Continuando a ideia (sem acento) de melhorar o Sistema D20, tivemos a exclusão das esdrúxulas regras de Agarrar, substituida por uma simples e elegante regra de “Manobras”. Além disso, o quadro sobre “Ataque de Oportunidade” é interessante para explicar ao novato no RPG sobre esse mecanismo que é a cara do D&D Terceira Edição, e que não fica de fora de minhas aventuras de jeito nenhum, por mais que os autores a considerem uma “regra opcional”.

Um ponto que eu demorei a entender foi a nova regra de “ataques múltiplos”, sejam eles recebidos por atacar com duas armas, Talentos, armas naturais… Diferente do D&D padrão, em que a penalidade ia para os ataques DEPOIS do primeiro, agora TODOS os ataques sofrem penalidades. A regra é clara, como diria o Arnaldo, mas o motivo é que me escapou: a intenção é que todos os ataques tenham os mesmos bônus, pra simplificar, sem aquele lance de +18/+13/+6/+1.

Capítulo 10 – O Mestre: Regras para uso de itens mágicos (que agora são limitados a quatro por peronagem, sem contar armas e consumíveis), tabelas de tesouros, desafios, armadilhas, dicas para mestres… tudo de bom nesse capítulo! No final, os Artefatos de Arton, como Rubis da Virtude e o Olho de Sszzaas.

Capítulo 11 – Bestiário: Uma lista interessante de criaturas de todos os níveis para serem atiradas contra os aventureiros. Apesar de ausências fatais, como os Orcs, tá bem sortida e dão uma ideia bacana de como está o sistema: Enxuto e direto! A ficha de cada monstro é 1/5 de uma ficha de monstro de D20 padrão!

Capítulo 12 – Malpetrim: Descreve as tramas, locais e personagens da mais famosa e mais antiga cidade da DB (apareceu pela primeira vez na aventura “O Disco dos Três”, da DB#05, de 1995!), que em Arton, é o local preferido de grupos de heróis, e o centro de uma resistência contra o domínio dos Minotauros.

resenha rpg trpg tormenta livro manual regras

Resumindo: Tormenta RPG é um jogo completo. Você não precisa mais do que ele pra jogar fantasia medieval. Apesar de achá-lo meio assutador para iniciantes (e não coube uma aventurazinha pronta, que pena!), recomendo para qualquer um que queira um D&D Terceira Edição em português, já que os livros básicos da Devir estão quase esgotados e são caríssimos.

Falando em preço: Quando eu o comprei, achei justo pagar 80 reais por um livro que é quase 3 em 1; Afinal, com esse grana, eu não comprava nem um Livro do Jogador. Mas depois do que eu vi a RetroPunk fazer com o Rastro de Cthulhu (Livro em duas cores + papel Couché + direitos autorais, por 66 reais), vi que Tormenta poderia ser mais barato. Mesmo assim, continua valendo a pena pra quem quer jogar D&D e não quer ficar caçando livro usado na internet, e também não quer gastar horas preenchendo “Cartões de Poderes”.

Fui!



"

ESRB - Como interpretar os selos

ESRB - Como interpretar os selos: "
Saudações Aventureiros!



Como todo jogador de jogos eletrônicos, vocês devem ter visto um selo gringo indicando a classificação indicativa neles. É o Entertainment Software Rating Board, ou ESRB. É claro que eles são auto-explicativos, mas não explicam os motivos - ou a classificação que se baseou - do selo, pelo menos para nós, 'leigos' que acreditam que jogos podem influenciar à matar... Então, pensando nisso, temos um pequeno infográfico visual abaixo para vocês entenderem essa classificação:








Traduzido do original by nerfnow.com



FenrirX®



"

Shoujo Madoka Magika 5

Shoujo Madoka Magika 5: "
"