AVISO

A nova política de uso do Google me fodeu legal, agradeçam a ele quando virem o que aconteceu com os posts antigos.

Persona 3D&T

Persona 3D&T:


Iniciada em 1996 com o game Megami Ibunroku: Persona (algo como “Outro Conto da Deusa: Persona”) pela empresa japonesa ATLUS para PlayStation, o que viria a se tornar a série Persona começou apenas como um spin-off do carro-chefe da empresa, a franquia Shin Megami Tensei. O game conta a história de jovens que, após acessarem uma dimensão que conecta o subconsciente das pessoas e entraram em contato com um poderoso ser espiritual, adquirem poderes para combaterem uma invasão demoníaca. Lançado no ocidente como Revelations: Persona, o game não atingiu o mesmo sucesso que teve no Japão, principalmente devido a americanização da história e dos personagens. Em 2009, o Persona original recebeu um remake para PSP, intitulado Shin Megami Tensei: Persona, dessa vez mantendo-se fiel a localidade japonesa.

Encare seu “verdeiro eu” e receba incríveis poderes!! A série de games da ATLUS, agora em sua mesa de 3D&T



A série Persona:

O sucesso de Megami Ibunroku: Persona no oriente levou a ATLUS a lançar mais um game da linha em 1999, Persona 2: Innocent Sin, e uma continuação em 2000 intitulada Persona 2: Eternal Punishment, ambos para PS1. Ambos compunham uma história completamente nova, com pouca ligação com o primeiro Persona. Novamente, a série não repetiu o mesmo sucesso do Japão no ocidente, fazendo com que apenas Innocent Sin chegasse até nós. Persona 2: Innocent Sin também ganhou um remake para PSP lançado esse ano, e os fãs (principalmente no ocidente) aguardam anciosamente o anúncio de um remake também de Eternal Punishment.

Apesar da série não parecer vingar no ocidente, as coisas estariam para mudar em 2006, com o lançamento de Persona 3, para PlayStation2. O sucesso dos games em terras niponicas levou a ATLUS a tornar Persona uma franquia própria, separada de Shin Megami Tensei, introduzindo elementos diferenciais próprios. Dessa vez, o game chamou muito a atenção dos ocidentais, levando a ATLUS a lançar uma edição expandida (chamada Persona 3: FES) em 2007 e um animê vagamente baseado no game (Persona -trinity soul-, bem ruinzinho aliais) em 2008, entre outros produtos. Um port para PSP (Persona 3 Portable) foi lançado em 2009, com o adicional de poder escolher o sexo do protagonista (o que acarreta certas mudanças na história).

Em 2008 a série pegou de vez no ocidente com o lançamento de Persona 4 para PS2. Trazendo de volta os elementos que foram consagrados em Persona 3, chegou a fazer até mais sucesso que o seu antecessor (ainda mais em terras ocidentais, devido principalmente a diminuição do tom pesado que a série tinha até então, facilitando sua aceitação), com uma continuação em forma de game de luta anunciada para PlayStation 3 (Persona 4: The Ultimante in Mayonaka Arena) e também um port para PSP anunciados e uma adaptação em animê lançada recentemente.

A série é marcante principalmente por seu tom adulto (mesmo com os principais sendo colegiais), com questionamentos comportamentais pesados. O protagonista normalmente é nomeado pelo jogador, que também escolhe a forma que ele interage com o mundo, e o combate é baseado principalmente no uso do misterioso poder conhecido como Persona. A partir de sua terceira encarnação, foram introduzidos os monstros conhecidos como Shadows como inimigos (no lugar dos tradicionais demônios da franquia Shin Megami Tensei) e mecânicas como os Social Links, que introduzem elementos de simuladores sociais ao RPG, dando uma grande riqueza de detalhes à vida comum do protagonista e vinculando o progresso no aspecto “Slice of Life” com seu desempenho em batalha. Elementos como esses se tornaram tão marcantes que viraram parte da identidade da franquia, e se mantem desde então.


Às Regras!!

O poder do Persona será representado aqui na forma de uma vantagem, que pode ser obtida com pontos pelos jogadores ou concedida pelo mestre. Embora algumas mídias (principalmente os animês e mangás associados à franquia) mostrem o Persona como uma criatura que realmente luta pelo usuário, usaremos uma abordagem mais parecida com a do game, com o Persona se manifestando sempre que o usuário gastar seus PMs.


Persona-User (2 pontos)

Você despertou ao grande poder que reside no seu subconsciente, trazido a tona por uma grande determinação. Esse poder, o Persona, é muitas vezes definido como “uma máscara que protege contra as dificuldades do mundo ao redor” ou “uma faceta da personalidade que serve como reação a estímulos externos”, se manifesta na forma de uma criatura (normalmente um ser mitologico estilizado) que surge sempre que o usuário manifesta seus poderes, como se estivesse ativando-o por ele. Aqueles que podem manifestar um Persona são normalmente conhecidos como Persona-Users.

O “Despertar”, como pode ser chamado a descoberta da capacidade de invocar um Persona, costuma a ser traumático, normalmente ocorrendo numa situação de perigo. Outra forma de se obter o poder, porém mais rara, é através do contato com entidades misteriosas, que muitas vezes possuem índole duvidosa.

A principal utilidade de um Persona é combater os seres conhecidos como Shadows, monstros que se alimentam de mentes humanas e surgem a partir de sentimentos e pensamentos negativos que são suprimidos pelas pessoas. As Shadows costumam a habitar dimensões paralelas que representam o subconsciente humano, e a atrair presas para pontos no mundo real que dêem acesso à esses lugares.

O Persona-User deve sempre ser um indivíduo com determinação o suficiente para não apenas encarar, como também aceitar a existência dos seus próprios sentimentos que geram as Shadows, como seus medos, segredos e pensamentos ruins. Isso ocorre principalmente porque, em sua natureza, o Persona é o mesmo que uma Shadow, porém domada e controlada após os sentimentos serem confrontados pelo usuário. Uma das formas do Despertar ocorrer, é com o indivíduo sendo encarado com uma Shadow com a mesma aparência que a sua (exceto pelos olhos, que são sempre de um amarelo brilhante), que expõe e até mesmo zomba desses sentimentos negados e reprimidos e clama ser o indivíduo. Caso o usuário rejeite o que essa Shadow diz, ela pode se enfurecer, assumir uma forma monstruosa e tentar matá-lo, porém aceitando esse lado ruim que todos possuem dentro de si e entendendo que ele pode ser superado ela se transformará em seu Persona.

Característica +1. O despertar do Persona reforça o que o User possui de melhor.

Armadura Extra. Todo Persona concede uma grande resistência à um elemento.

Aptidão para Magia ou Ataque Especial. Os Personas podem invocar poderes incríveis. O jogador deve escolher entre Aptidão para Magia (podendo adquirir uma das vantagens mágicas por 1 ponto) ou por receber um Ataque Especial de até 1 ponto gratuitamente.

Vulnerabilidade. Apesar de seus poderes, os Personas são mais fracos contra determinados ataques. Você recebe Vulnerabilidade ao elemento oposto de sua Armadura Extra.


Vantagens e Desvantagens para Persona-Users:

As vantagens e desvantagens a seguir expandem ainda mais o universo visto na série, introduzindo certos conceitos vistos no game. Todos possuem como pré-requisito ser um Persona-User.

Resolução (1 ponto. Além disso, o personagem deve ter superado uma situação onde seus valores e objetivos tenham sido postos à tona, a critério do mestre)

Quando sua personalidade e seus objetivos se fortalecem, seu Persona corresponde ao avanço e muda de forma. Sua Armadura Extra torna-se uma Invulnerabilidade, e você recebe 2 magias extras (caso possua Vantagens Mágicas) ou uma vantagem de combate escolhidas pelo mestre.

Wild Card (2 pontos)

Você possui uma habilidade rara entre Persona-Users, conhecida como “Wild Card”, “Arcano do Tolo” ou “Arcano 0″, que faz com que você armazene diversos Personas dentro de sua alma, cada um representando ligações importantes que você desenvolveu com outras pessoas. Uma vez por combate, você pode gastar 5 PMs para mudar seu Persona, trocando sua Armadura Extra e recebendo uma consequente Vulnerabilidade ao elemento oposto. Esse poder é adquirido apenas em condições muito especiais, por isso cabe ao mestre decidir se ele estará ou não disponível na campanha.

Fetiche (-1 ponto)

Caso o mestre queira ser fiel à Persona3, os Persona-Users necessitam de algum objeto que ative seus poderes (no game, uma pistola especialment preparada - chamada Evoker - atirada em direção à cabeça). Sem esse objeto, não podem usar suas magias e vantagens de combate. Caso o Fetiche seja obrigatório, personagens que não o possuam devem recomprar a desvantagem.

Descontrole (-2 pontos)

Você não possui a determinação necessária para domar seus sentimentos, ou possui poderes instáveis por algum motivo, fazendo com que seu Persona possa agir contra a sua vontade. Em situações de combate, o mestre deve rola 1d; um resultado impar significa que o User deve rolar um teste de Resistência. Em caso de falha, seu Persona se descontrola e atacará alvos aleatórios até o fim do combate. Essa desvantagem pode ser suprimida através de um remédio em pílula conhecido como Supressor de Persona, porém seu uso impoe riscos à saúde do usuário. Alguém que tome um Supressor não sofrerá os efeitos dessa desvantagem por 1d-2 dias, porém também sofrerá um redutor de -1 em testes de Resistência durante esse período.

As imagens usadas neste artigo são artes de divulgação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post urls = spam.