AVISO

A nova política de uso do Google me fodeu legal, agradeçam a ele quando virem o que aconteceu com os posts antigos.

[SdJ] The Fear of a Bad End (Parte 2)

Segunda parte da sessão, a primeira está aqui. Espero que dê tudo certo, dessa vez.

Fichas aqui.
Parte 1 aqui.


GM: *Após várias horas repetindo o ato, derramando litros de sua semente dentro de Elfy, Arb'An se cansa e larga a garota num lado. Ele vai até um canto e se senta, cansado.
Arb'An: Hehe, você vai ser uma ótima mãe, garotinha, heh... ZZZZzzz.
GM: O asqueroso réptil cai no sono.
Elfy: *fraca e falando baixo* Eu vou te matar...
GM: *Do lado de fora da caverna, outra pessoa se aproxima. Seu corpo cheio de curvas e suas roupas caras mostram que é uma mulher com experiência. Provavelmente uma aventureira veterana.
Yume: Acho que é aqui. *seguindo os rastros* Os guardas disseram que Elfy correu para longe, e só fiz seguir esses rastros... Tomara que algum monstro não tenha feito nada a ela...
GM: *Preocupada com a pequena, Yume se prepara para entrar na caverna que leva até a última Tribo dos Kobold.
GM: Teste de Percepção, H-1.
Jogador2: rolou 1D6 = 1
GM: *Yume percebe a aproximação furtiva de um dos Kobolds sobreviventes.
Yume: *lambe os lábios* Uma vítima! *vira e atira*
Jogador2: rolou 1d6+7 = 13
Jogador2: Crítico!
GM: rolou 1d6+1 = 2
GM: *A esfera de energia elétrica atinge o Kobold escondido em cheio, na cabeça. A potência da luva estava tão alta que estoura os vasos sanguíneos dos olhos da criatura, explodindo-os no fim do choque.
Yume: Que pena, agora não posso interrogá-lo! *sarcasmo*
Jogador1: Pergunta rápida, por que Yume tem mais pontos que eu?
Jogador2: Comecei bem antes que você. Beeeeem antes.
Jogador1: Tá...
GM: *Yume entra na caverna e se depara com algumas armadilhas já ativadas por outros infelizes. Os rastros de passos pequenos continuam até chegar na mesma câmara de antes, com o lago e as palafitas. Terra e areia recentes apontam o caminho até a maior das casas do lugar, completamente quieto e aparentemente vazio.
Jogador2: Vou olhar as outras casas. Jogando Furtividade.
Jogador2: rolou 1D6 = 1
GM: *Andando da forma mais silenciosa e graciosa possível, Yume se move até a casa mais próxima. Esgueirando-se até a porta dessa casa, ela pode ver a maior casa de todas, provavelmente do líder da tribo, mas a ignora. Por hora.
Jogador2: rolou 1D6 = 1
Jogador1: Dado bugado do cacete!
Jogador2: É que sou foda demais.
GM: *A tranca estava com uma pequena armadilha, pronta para ativar um explosivo assim que fosse tocada. Yume a desarma e entra no lugar. Uma pequena caixa chama a atenção da elfa.
Jogador2: Teste pra saber se tem armadilhas.
GM: *A pequena caixa, sem nenhuma armadilha, é aberta facilmente. Alguns cristais estão guardados ali. (Ganhou +1 PE).
Yume: Nossa, que sorte! *guarda os cristais* Acho que agora eu vou para a casa do líder, pode ter mais coisas por lá!
Jogador2: rolou 1D6 = 2
GM: *Ainda movendo-se furtivamente, Yume vai até a grande casa. Uma presença maligna é sentida do outro lado da porta.
Yume: *olha pela janela* Deixa ver se é seguro...
Jogador1: Hahaha, não pensei nisso!
GM: *Yume anda pela travessia e olha em todas as janelas, da melhor forma que pode. Como o espaço de visão é pequeno, ela não vê nada.
Yume: *volta para a porta* Tá bem, vou abrir devagarinho. *chuta a porta*
Jogador2: rolou 1D6 = 2
GM: *Em sua tática agressiva, Yume bota abaixo a porta de madeira e vê Arb'An dormindo de um lado e Elfy fraca e suja do outro.
Jogador2: rolou 1D6+7 = 13
Jogador2: Ela nem pergunta, atira logo no infeliz. Como tá surpreso/indefeso, leva tudo.
GM: rolou 1D6 = 2
GM: *Arb'An recebe o disparo elétrico de Yume, e sofre uma violenta convulsão, babando e se contorcendo no chão de madeira.
Yume: *anda até Elfy, olhando pro lagarto* É sempre tão gratificante matar monstros como você, hihihi! Eu até posso gozar de te ver assim!
Elfy: Eu que vou matá-lo!
Yume: Calma, vou te ajudar.
Jogador2: Gasto 1 PE pra encontrar o antídoto com o monstro, revistando ele e a casa.
GM: *Yume, após andar um pouco pela casa vazia procurando por qualquer coisa, nota que uma das tábuas de madeira no chão perto da porta está mal colocada. Uma rápida examinada revela um compartimento escondido com vários frascos cheios de um líquido verde escuro.
Yume: Mais veneno, aposto. Será que tem mais coisa aqui dentro?
GM: *Procurando com mais atenção, um dos frascos possui uma cor mais clara. Logo, três frascos são identificados com a mesma cor, provavelmente são os antídotos disfarçados entre os venenos.
Yume: Ei, Elfy, você tem tolerância a veneno?
Elfy: *confusa e fraca* Como vou saber? Quero matar aquele merda logo!
Yume: Calma, calma. *leva os três frascos e faz Elfy beber um* Aqui, você pode melhorar com isso...
Elfy: *bebe* Amargo!
GM: rolou 1D6 = 1
Yume: Me agradeça depois. Consegue se mexer?
GM: *Aquele parecia ser o verdadeiro antídoto. Logo, Elfy conseguia se mexer normalmente.
Elfy: *levantando com dificuldade* Agora vou matar aquilo!
Yume: *segura ela* Calma, nesse estado você não vai conseguir nada...
Elfy: ME LARGA!
Yume: Tá bom então, vai lá...
Elfy: *anda até a espada, pega e vai até o Kobold* Agora sim, eu vou te MATAR!
GM: *Cega pela fúria, Elfy começa a desferir golpes com sua espada, de cima para baixo, da esquerda para a direita, sem se importar com o sangue que é jogado em seu corpo. A carne fica a mostra, os ossos são destruídos e esmigalhados. Logo, não é possível mais distinguir aquela massa desfigurada de um Kobold ou de qualquer outra coisa. Elfy cansa, depois de quase meia hora descarregando seu ódio no monstro, e se senta no chão ensanguentado.
Yume: *aproxima* Elfy-chan, está mais calma?
Elfy: Sim... Agora que isso morreu... *começa a chorar*
Yume: *ajoelha e abraça ela* Tudo bem, pode chorar, eu estou aqui.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post urls = spam.