AVISO

A nova política de uso do Google me fodeu legal, agradeçam a ele quando virem o que aconteceu com os posts antigos.

Acho que me perdi - Capítulo 4



- Continuando de onde paramos na semana retrasada... *Reimu me olhava com olhos zombadores.* - Eu disse que "o mundo que você conhece não existe mais".
- Semana retrasada? Tá querendo quebrar a quarta barreira?
- Eu posso, acostume-se. *Ela se levanta, ajeita as roupas e anda até mim.* - Quer saber do que estou falando?
Eu a olho de cima a baixo; não parecia ser a Velha dos Gaps disfarçada, mas também não teria como saber se a nunca vi pessoalmente. O coração dela passava sentimentos de alegria e zombaria, significando que ela estava pronta pra me ferrar assim que eu desse a resposta "certa".
- Tá bom, pode falar. *Suspiro e me preparo para ouvir, já que são as únicas coisas que posso fazer.*
Fiquei esperando ela começar a falar, aquele maldito discurso-tutorial de começo de aventura, quando ouço vozes femininas vindo de um lado do templo. Pensei em ir olhar quem eram, mas elas logo apareceram. 
Eram duas garotas, uma loirinha baixinha com roupa de miko azul, devia ter por volta dos 10 anos, e uma bela mulher de cabelos negros compridos, blusa folgada negra e um short jeans, na faixa dos 20. Ela era perfeita, me deixou louco ali, em pé, sequer ouvia uma palavra da Reimu Gap. Elas se aproximaram da sacerdotisa e começaram uma conversa.
- Tia Reimu! *Falava a baixinha.* - Encontrei o violão que Yumi-chan pediu! *Sorria, como se tivesse feito a descoberta do século.*
Ai eu percebo que a tal Yumi segurava um violão um tanto velho com a mão esquerda.
- Espero não te causar problemas por pegar isso emprestado, Hakurei-san. *A mulher se curvava para Reimu Gap, mostrando respeito a ela.* - Usarei e cuidarei muito bem dele.
- Ele ia ficar comendo poeira lá no armazém, você fez bem em pedir ele. Vai que um dia virasse um Tsukomogami e tentasse me matar, né? *Fala a segunda parte da frase com um cinismo absurdo.* - Ah, esse aqui é um humano que veio de fora, Yumi-san. Ei, você. *Ela me cutuca na barriga, me fazendo sair do transe.* - Apresente-se para ela e tire esse sorriso safado do rosto.
- Ah, é, eu, sim, eu... *Como consegui ficar tão atrapalhado e sem graça me é um mistério até hoje.* - M-me chamo Leo Tsu-tsukasa, prazer. *Sorrio e estendo a mão, gaguejando feito gago.*
A mulher ri com a mão livre na frente da boca, e percebi que estava pagando um micaço ali. Porém, ela aperta minha mão...
- Meu nome é Yumi Sakanae, prazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post urls = spam.